Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f

Sobre o LABMUS

Atualizado em 29/05/17 20:34.

 

LABORATÓRIO DE MUSICOLOGIA BRAZ WILSON POMPEU DE PINA FILHO: preservação, catalogação e difusão do patrimônio musical de Goiás.

A busca por novas abordagens na pesquisa musicológica tem estimulado investigações que visam a compreensão dos contextos em que os objetos se inserem, a par de pesquisas focadas em aspectos técnicos do fazer musicológico e musical. Tal ampliação evidencia possibilidades de interfaces ainda carentes de atenção com a história, literatura, teatro, antropologia, sociologia, linguística, dentre outras áreas afins, bem como diálogos intradisciplinares com a performance, composição, educação musical etc. Por este viés, as pesquisas realizadas noLaboratório de Musicologia Braz Wilson Pompeu de Pina Filho - LABMUS -, têm em comum a busca por compreender a história, a cultura e a sociedade, partindo do campo musical e o expandindo através de vivências captadas em documentos escritos (musicais ou não), gravações, vídeos, fotos e outras mídias. Dessa forma o LABMUS tem como objetivos:

 

> Produção de estudos sistemáticos em musicologia, com ênfase na música goiana e brasileira: preservação e difusão de documentos escritos e audiovisuais;

> Tratamento, catalogação e disponibilização via web de acervos goianos e brasileiros;

> Suporte à criação de centros de pesquisa musicológica situados em localidades fora da EMAC/UFG;

> Promoção de contato com bibliotecas e arquivos de referência em musicologia e áreas afins;

> Desenvolvimento de um programa de edições e publicações através de recursos próprios e/ou através de associações com órgãos de fomento e editoras já estabelecidas;

> Suporte à produção musical e cênico musical resultante de pesquisas musicológicas.

 

ENDEREÇO E CONTATO

ENDEREÇO E CONTATO

O LABMUS localiza-se na Escola de Música e Artes Cênicas (EMAC) da Universidade Federal
de Goiás (UFG), sala 120. Campus Samambaia. Avenida Esperança, s/n, Campus Universitário,74690-
900 - Goiânia/GO - Brasil.


CONTATO
Dra. Ana Guiomar Rêgo Souza
(55) 623521-1430 - (55)9996-4235
www.facebook.com/laboratoriomusicologia.emac.ufg/

BRAZ WILSON POMPEU DE PINA FILHO

O nome do LABMUS é uma homenagem à Braz Wilson Pompeu de Pina Filho, professor da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG, um dos pioneiros da pesquisa musicológica no Estado de Goiás, juntamente com nomes como o de Maria Augusta Callado de Saloma Rodriguês e Belkiss Spenzieri Carneiro de Mendonça.


Braz Wilson Pompeu de Pina Filho (Pirenópolis, 03.01.1946 –14.03.1994) foi jornalista, pesquisador, escritor, compositor e regente. Filho de Braz Wilson Pompeu de Pina e de Noêmia Pompeu de Pina. Cursou Jornalismo na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal de Goiás (UFG) e graduou-se em Música, Canto e Piano, também pela UFG. Estudou regência com Camargo Guarniere e foi regente da Orquestra Sinfônica de Goiás e Diretor de Música da Matriz de Pirenópolis. Especializou-se em Novas Técnicas de Ensino Pianístico, em Contraponto, Composição e Regência. Dirigiu a Orquestra de Câmara Oitocentista.

Pelo seu talento multiforme, tornou-se Diretor, Criador, Regente Titular, também da Orquestra Sinfônica de Goiás. Atuou muitos anos no jornalismo goiano, escrevendo matérias sobre a vida cultural do Estado. Passou a lecionar no Instituto de Artes da UFG (hoje Escola de Música e Artes Cênicas) onde deu vazão a seu espírito de pesquisa e de ensino. Ali trabalhou com dinamismo e eficiência, de 1974 a 1992. Ingressou ainda como membro efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás e foi premiado com o Troféu Tiokô da União Brasileira de Escritores pelo seu trabalho como pesquisador da área da música. Faleceu em 14 de março de 1994, aos 48 anos de idade.

É Patrono da Cadeira nº XXIV da Academia Pirenopolina de Letras, Artes e Música, cujo membro fundador é o maestro Alexandre Luiz Pompeu de Pina. OBRAS: "Goiás, História da Imprensa", "Conservatório de Música da UFG:16 anos", "Biografia de Antônio da Costa Nascimento", "Biografia de Jean Douliez", "O Barroco em Goiás" em Enciclopédia da Música Brasileira, "O cancioneiro de Armênia", Editor da "Revista Goiana de Artes", Editor da "Revista do Instituto de Artes da Universidade Federal de Goiás", Editor da Revista "A Folclórica". Gravações fonográficas em vinil: "Primeiro Recital de Compositores Goianos", do qual foi regente; "Cantos de Natal". Compôs a trilha sonora do filme "Índia, a filha do sol, nos anos de 1980".

Listar Todas Voltar